Luiza Musela: Bem Viver : Combate ao Câncer de Mama

Bem Viver : Combate ao Câncer de Mama

/
1 Comments


Olá meninas, vou falar uma coisa bem séria para vocês, pois é Câncer de Mama.
Muitas mulheres não tem condições para terem um diagnóstico preciso e nem tem condições para fazerem um o tratamento adequado.

Mas só mais um aviso, homens também tem câncer de mama.
Bom vamos, começar a falar sobre esse assunto degradável porém muito necessário, eu tenho visto aquela série no Programa Fantástico que está acompanhando desde da notícia do diagnóstico até o tratamento para chegar a cura.
Vamos dar uma olhadinha nos 12 sintomas, acho bem legal esse diagrama:


O que é o Câncer de Mama? ( fonte : site minha vida)
O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve na mama como consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente. Ocorre o crescimento anormal das células mamárias, tanto do ducto mamário quanto dos glóbulos mamários. O câncer da mama é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres em todo o mundo, sendo 1,38 milhões de novos casos e 458 mil mortes pela doença por ano, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). A proporção de câncer de mama em homens e mulheres é de 1:100 - ou seja, para cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem terá a doença. No Brasil, o Ministério da Saúde estima 52.680 casos novos em um ano, com um risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia, cerca de uma a cada 12 mulheres terão um tumor nas mamas até os 90 anos de idade.

Tipos de Câncer: Um câncer de mama não invasivo, também chamado de câncer in situ, é aquele que está contido em algum ponto da mama, sem se espalhar para outros órgãos - a membrana que reveste o tumor não se rompe, e as células cancerosas ficam concentradas dentro daquele nódulo. Já o câncer de mama invasivo acontece quando essa membrana se rompe e as células cancerosas invadem outros pontos do organismo. Todo câncer de mama in situ tem potencial para se transformar em um câncer de mama invasor
Carcinoma ducta in situ;Carcinoma ductal invasivo;Carcinoma lobular in situ;Carcinoma lobular invasivo;Carcinoma inflamatório;Doença de Paget

O câncer de mama tem 4 estágios.
Estágio 0 - as células cancerosas ainda estão contidas nos ductos, por isso o problema é quase sempre curável
Estágio 1 - tumor com menos de 2 cm, sem acometimento das glândulas linfáticas da axila
Estágio 3-  nódulo com mais de 5 cm que pode alcançar estruturas vizinhas, como músculo e pele, assim como as glândulas linfáticas. Mas ainda não há indício de que o câncer se espalhou pelo corpo
Estágio 4 -tumores de qualquer tamanho com metástases e, geralmente, há comprometimento das glândulas linfáticas. No Brasil cerca de 60 a 70% dos casos são diagnosticado em estadio 3 ou 4.



Quais são os fatores de Risco?

Histórico familiar - 2 ou mais parentes de primeiro grau com câncer de mama; um do primeiro grau, outros do segundo e outros de terceiro com câncer de mama; e assim a diante como câncer bilateral ou em uma das mamas de algum parente.

Idade - As mulheres com 40 a 69 anos tem mais propensão de ter câncer de mama. Isso porque a exposição ao hormônio estrógeno está no auge com a chegada dessa idade. A partir dos 50 anos, particularmente, os riscos entram em uma curva ascendente.

Menstruação PrecoceA relação entre menstruação e câncer de mama está no fato de que é no início desse período que o corpo da mulher passa a produzir quantidades maiores do hormônio estrógeno. Se a primeira menstruação ocorre por volta dos 9 ou 10 anos de idade, é porque os ovários intensificaram a produção do hormônio cedo e, assim, o organismo ficará exposto ao estrógeno por mais tempo no decorrer da vida.

Menopausa Tardia- A lógica nesse caso é a mesma do caso acima - enquanto a menstruação não cessa, os ovários continuam a produzir o estrógeno, deixando as glândulas mamárias mais expostas ao crescimento celular desordenado.

Reposição Hormonal- Muitas mulheres procuram a reposição hormonal para diminuir os sintomas da menopausa. Mas essa reposição - principalmente de esteroides, como estrógeno e progesterona - pode aumentar as chances de câncer de mama. Na menopausa, os tecidos ficam ainda mais sensíveis à ação do estrógeno, já que os níveis desse hormônio estão baixos devido à ausência de sua produção pelo ovário. Como alternativa à reposição hormonal, é indicada a prática de exercícios físicos e uma dieta balanceada.

Colesterol Alto -  O colesterol é a gordura que serve de matéria prima para a fabricação do estrógeno. Dessa forma, mulheres que altos níveis de colesterol tendem a produzir esse hormônio em maior quantidade, aumentando o risco de câncer de mama.

ObesidadeO excesso de peso é um fator de risco para o câncer de mama principalmente após a menopausa. Isso porque a partir dessa idade o tecido gorduroso passa a atuar como uma nova fábrica de hormônios. Sob a ação de enzimas, a gordura armazenada nas mamas, por exemplo, é convertida em estrógeno. O alerta é mais sério para aquelas que apresentam um índice de massa corporal (IMC) igual ou superior a 30. A redução de apenas 5% do peso já cortaria quase pela metade os riscos de desenvolver alguns dos principais tipos de câncer de mama. A constatação é de pesquisadores do Centro de Prevenção Fred Hutchinson (EUA), com base na avaliação de dados de 439 mulheres acima do peso entre 50 e 75 anos de idade.

Ausência de Gravidez Mulheres que nunca tiveram filhos têm mais chances de ter câncer de mama devido a ausência de amamentação. Quando a mulher amamenta, ela estimula as glândulas mamárias e diminui a quantidade de hormônios, como o estrógeno, em sua corrente sanguínea.

Lesões de RiscoJá ter apresentado algum tipo de alteração na mama não relacionada ao câncer de mama também pode aumentar as chances do surgimento de tumores. Dessa forma, pequenos cistos ou calcificações encontrados na mama, ainda que benignos, devem ser acompanhados com atenção.

Tumor de mama anterior- Pacientes que já tiveram câncer de mama têm mais chances de apresentar outro tumor - nesse caso, o câncer de mama é chamado de câncer recidivo, ou um câncer de mama que sofreu uma recidiva.

Meninas, o post ficou muito extenso e pode estar até cansativo então sobre tratamento e os exames mais detalhadamente eu volto depois aqui tá, será o próximo post.




Você pode gostar também..

Um comentário:

  1. Por favor me ajuda, eu to com um caroço com mais de 5cm no peito direito e ele doi quando toco e
    na lateral dele está roxo quero saber se isso pode ser o cancer de mama. Lembrando eu sou homem me da uma resposta logo pq com esses assunto não devemos perder tempo me ajuda.obg

    ResponderExcluir

A tal da Nati. Tecnologia do Blogger.